VI SBPG

Local do evento

O VI SBPG será realizado na Universidade de São Paulo, uma das maiores instituições de ensino superior e pesquisa do Brasil, especificamente no campus Butantã, também chamado de Cidade Universitária Armando Salles de Oliveira (CUASO).

A Cidade Universitária tem aproximadamente 3,7 milhões de m², ao longo dos quais se distribuem as unidades de ensino e pesquisa, diversos museus, bibliotecas, teatro, cinema, centro de práticas esportivas, hospital universitário e muita área verde.

Internamente há 3 ônibus circulares que cobrem todo o campus. Para atender o público, na Cidade Universitária funcionam restaurantes, lanchonetes, loja de conveniência, além da livraria da EDUSP. 

Na página da Prefeitura do Campus há informação sobre o funcionamento das portarias da USP, sobre o transporte dentro do campus, e mapas da Cidade Universitária.

O campus está situado entre as pontes Jaguaré e Cidade Universitária, na Marginal Pinheiros, zona oeste da cidade de São Paulo. Há várias maneiras de chegar na Cidade Universitária por transporte público: metrô, trem e ônibus. 

A estação de metrô mais próxima é a estação Butantã da linha 4 – Amarela, de onde deve-se pegar ônibus para chegar à USP.

Ao utilizar o trem deve-se utilizar  a Linha 9 – Esmeralda da CPTM, e descer na Estação Cidade Universitária.

As linhas de ônibus que atendem a USP são:

  • 107T – Cidade Universitária, 177H – Butantã-USP,
  • 177P – Butantã-USP, 701U – Butantã-USP,
  • 701U – Butantã-USP,
  • 702U – Butantã-USP,
  • 724A – Cidade Universitária,
  • 7181 – Cidade Universitária,
  • 7411 – Cidade Universitária e
  • 7725 – Rio Pequeno.

Os links abaixo podem ajudar no deslocamento em São Paulo. Recomendamos também o uso de algum dos vários aplicativos de consulta de itinerário e horários das opções de transporte público na cidade.

São Paulo

São Paulo, ou Sampa como é chamada localmente, é uma cidade multiétnica com uma mistura diversificada de imigrantes. Ela experimentou ondas de migração ao longo do século passado vindas de países como Itália, Portugal, Japão, Alemanha, Coréia e Oriente Médio, os quais trouxeram sua culinária e cultura com eles. Quase seis milhões de habitantes têm origem italiana, tornando-se o maior grupo étnico da cidade, e mais de meio milhão são japoneses. Esse legado multicultural pode ser visto na composição de vários bairros, como o Bixiga de influência italiana e a Liberdade de influência japonesa. A recente expansão econômica também atraiu brasileiros de todo o país, “então há a chance de conhecer pessoas e aprender sobre diferentes aspectos da cultura brasileira”.

Sunshine Flint

- BBC

Refinada caoticamente, concreto verdejante, intimamente gigantesca: a metrópole mais populosa da América do Sul era apenas uma cidade cafeeira mediana até meados do século 20, quando um influxo de migrantes nordestinos desencadeou um surto de crescimento que não dá sinais de parar. Com arranha-céus aparentemente infinitos quase bloqueando o sol (se seus famosos céus nublados não fizerem isso primeiro), os visitantes nem sempre entendem a cidade instantaneamente. Mas seus tesouros estão abaixo da superfície: restaurantes de classe mundial, música ao nível da música brasileira e uma cena artística cada vez mais exuberante, de teatros alternativos a novos museus reluzentes.

Seth Kugel

- The New York Times